quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Considerações a respeito de 2009


Conclusões de 2009


Não são necessários três anos de relacionamento para se casar.

Conheci minha esposa em abril de 2008, viajei com a mesma em julho do mesmo ano para as famosas praias do Rio Araguaia – GO onde passamos mau "horrores" por algum tipo de contaminação. Depois dessa terrível fatalidade, percebemos que nos preocupamos demasiadamente de forma recíproca, e que portanto, aquela relação já teria forças para ser algo mais do que já era, e sim, se tornou. Noivos em agosto de 2008 nos casamos em janeiro de 2009 com desaprovação de 90% dos familiares de ambos os lados.


Não retornei ao mundo acadêmico em 2009 como tinha antes planejado.

Também não retornarei ao curso de jornalismo, apesar de achar que hoje é o que mais satisfaria minha vontade de aprender. A maldita responsabilidade faz-me optar por algo que me dê um retorno financeiro a menor prazo. Então a área de tecnologia é a solução, mesmo que o Kumon não tenha me ensinado matemática. Como alguns mais próximos já sabem, a área da tecnologia não tem condições mínimas de me ensinar o que quero aprender, só a área de humanas o fará, um dia.


Reconheci que de fato sou muito egoísta.

Alguns já sabem o que querem ser desde crianças (ou querem crer nisso). Outros já se decidem na maldita adolescência ali no segundo grau ensino médio. Eu nem mesmo sabia que teria que continuar estudando depois que acabasse o oitavo nono ano! Fui descobrir que existia estudo após o ginásio com minha amiga Juliana. Foi um baque violento.
Na questão do conhecimento/reconhecimento tardio, aprendi que sou extremamente individualista após o convívio com minha esposa. Venho me esforçado para driblar meu instinto egoísta para fazer nosso relacionamento permanecer mágico como está.


Caí de cabeça na cultura evanescente.

Apesar de continuar a ver e cultuar o que anteriormente muito me agradava, hoje vejo tudo quanto é porcaria que passa na mídia. Duvido que esteja sendo arrogante ao chamar 90% do que passar na tv, rádio (se bem que essa mídia já não ouço a mais de 10 anos a não ser para notícia) e cinema de porcaria. Cine Ouro, Cine Cultura me aguardem que em 2010 estarei de volta!



Ensaio para 2010


Fazer dois virarem três

Sim, eu quero um filhote de Rodrigo e Isabella. Meus olhos se enchem d'água só de imaginar. Claro que, como todo pai, tenho pavor de imaginar que ela/ele vá para micaretas (carro rebaixado, som automotivo, camisete e correntinha de bolinha no pescoço) e que venha gostar de todas essas coisas ditas mazelas do mundo, mas mesmo assim quero.